Saiba 9 cuidados para ter com o uso do Cheque para pagamentos

Tão utilizado no passado, o talão de cheque deixou de ser um dos meios de pagamentos preferidos do
brasileiro. Seja pela maior praticidade ou segurança do cartão de crédito, por exemplo, a verdade é que o uso
de cheques caiu 62% nos últimos dez anos, segundo levantamento feito Banco Central.

No entanto, apesar de menos usual, a modalidade ainda é aceita por diversos estabelecimentos e segue como
opção, especialmente para os mais resistentes à tecnologia. Se essa é a sua escolha na hora de pagar por suas
compras, é preciso adotar alguns cuidados de segurança.

DICAS PARA USAR O TALÃO DE CHEQUE

Confira 9 dicas de segurança elaboradas pela Federação Brasileira de Bancos (Febrabran) e tenha
mais cuidado ao preencher o seu talão de cheque no dia a dia:

  1. Sempre emita cheques nominais e cruzados.
  2. Anote no canhoto do talão para quem emitiu o cheque, o valor e a data de emissão.
  3. Não circule por aí com seu talão de cheque. Leve apenas a quantidade de folhas que pretende
    utilizar no dia.
  4. Quando receber um novo talão, confira os dados referentes ao nome, número da conta corrente e
    CPF e a quantidade de cheques do talonário.
  5. Cuide ao guardar o talão de cheque. Procure sempre destacar a folha de requisição e guarde-a em
    separado.
  6. Utilizar serviços de consulta de cheque como o Telecheque, assim poderá verificar a procedência e últimas transações e pagamentos do proprietário do cheque
  7. Nunca deixe requisições ou cheques assinados no talão.
  8. Destrua os talões de contas inativas e também os rasurados.
  9. Não utilize caneta hidrográfica ou com tinta que possa ser facilmente apagada. Evite canetas
    oferecidas por estranhos .
  10. Ao preencher cheques, elimine os espaços vazios e evite rasuras.

Quais os tipos de talão de cheque

Além de adotar cuidados ao preencher, sempre é importante conhecer os tipos de cheque para não cair
em erros.

  • Quanto à função do meio de pagamento, existem três principais: portador, nominal e endosso.
    • O primeiro é quando não há nenhum beneficiário explícito, recomendado para valores menores de R$ 100.
    • O segundo é oposto, ou seja, quando existe um beneficiário e deve ser usado para pagamentos acima de R$ 100.
    • Já o cheque de endosso, é a maneira de passar o valor adiante. Para isso, basta o beneficiário assinar e colocar o nome de um terceiro atrás da folha.

Além desses, o cheque pode ser definido de acordo com o seu tipo, sendo que os mais comuns são o cruzado, o administrativo, o pré-datado e o especial.

Você pode Gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *